sábado, 31 de dezembro de 2011

Como evitar ciúmes entre cães?

"
fonte: Equipe Cão Cidadão




Situação comum: você está acariciando um de seus cachorros e quando outro cão da casa chega você pensa assim: Agora é a vez dele, um pouquinho para cada um! Nada mais justo, não? As coisas não funcionam bem assim…

Na visão do cachorro que estava recebendo carinho, a simples aproximação do outro foi associada a perda de atenção, algo muito valioso para o cão. Então ele pode começar a hostilizar a presença do outro animal.
Mas com uma mudança de atitude muito simples, é possível evitar que essa associação negativa cresça a ponto de o cão que estava recebendo carinho precisar usar de agressividade para afastar o outro. Lembre-se: você tem duas mãos! Então quando o outro cão “pidão” se aproximar, aumente o carinho no primeiro! Assim, a associação se tornará positiva!
Mas se um dos cães já estiver usando de agressividade para afastar o outro, pode ser necessária a ajuda de um profissional, para evitar acidentes! Nesse caso é muito importante trabalhar com segurança e limites claros, tomando cuidado para não aumentar o carinho no momento da agressividade, o que pode fazer o tiro sair pela culatra, pois o cão que estiver agressivo pode achar que foi recompensado por manifestar rosnados, latidos ou mordidas!
Em situações como esta, a agressividade não deve ser tolerada pela pessoa que está acariciando, deve ser repreendida da forma correta e segura com broncas que podem ser desde um : “não!”, até o uso de broncas com barulho como latas com moedas e biribinhas, ou com a ajuda de um spray com água. O tipo de bronca varia muito conforme o tipo de cão e a intensidade da briga.
Se tudo estiver em paz, prossiga com a aproximação pouco a pouco, recompensando os cães quando permanecerem calmos e controlados na presença um do outro.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Sabonetes em Forma de Cachorro


"Você é do tipo que curte objetos e acessórios em forma de cachorro?
Que tal usar no lavabo (ou banheiro) da sua casa, sabonetes fofos em forma de cachorro? :D E o mais legal é que você pode comprar sabonetes da mesma raça do seu AUmigo. Já pensou que bacana? ;)
Encontrei esses sabonetes no site: Poppys Corner Shop e custam entre €25.00 e €28.00. São caros, mas eu achei tãooo fofos! Além de serem fofos, as caixinhas que os acompanham são super estilosas. Quero tudo! Hehehe :P
Você pode escolher as seguintes raças: Scottie, Westie, Chihuahua, Dachshund, Golden Retriever, Labrador, Maltês, Poodle, Pug e Cocker Spaniel."

 

 

 

 


quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Que tal educar seu filho como se fosse cachorro?

"
fonte: Revista Época
Pais recorrem a técnicas do adestrador de cães Cesar Millan para disciplinar as crianças. E garantem que funcionam
SIMILARIDADES Crianças e cães precisam de hierarquia e disciplina, certo? Com base nessa semelhança, pais americanos e ingleses estão adotando com seus filhos os princípios elementares de autoridade que Millan, o Encantador de Cães (abaixo), ensina na televisão
O que leva pessoas aparentemente normais a adotar em casa, com seus filhos, formas de adestramento recomendadas por um treinador de cachorros? Nas últimas semanas essa pergunta vem sendo feita por veículos como o jornal americano The New York Times e o britânico The Guardian. Por meio de blogs, Twitter e redes sociais, a mídia anglo-saxã detectou uma onda de seguidores do programa de televisão O encantador de cães que dizem ter adotado técnicas de adestramento canino no cotidiano de seus filhos. No Brasil, o programa, apresentado pelo mexicano radicado nos Estados Unidos Cesar Millan, é veiculado no canal Animal Planet e, aparentemente, ainda não teve o mesmo efeito – ao menos por enquanto não se sabe de brasileiros que resolveram tratar seus filhos com a pedagogia pavloviana de esfregar o nariz sobre as poças de urina ou premiar com biscoitos as manifestações de obediência.
Bem, não são ordens como senta, levanta, deita ou dê a patinha que os pais americanos e europeus adeptos da canisterapia estão esbravejando para os filhos. Basicamente, o treinador Millan se apoia em três elementos para a “educação” de um cão: exercício, disciplina e afeto. Para ele, o mais importante é demonstrar quem está no comando. Se o cão não obedece, é porque ele não sabe quem é o chefe da matilha. Se ele é agressivo, a agressividade está diretamente ligada ao excesso de energia de seu dono. Com algum senso de humor, é possível perceber nas ideias de Millan as linhas gerais de um novo freudianismo, capaz de explicar, simultaneamente, a psicologia do animal e de seu cuidador.
A psicoterapeuta de crianças americana Brenna Hicks, autora do blog The Kid Counselor (A Conselheira de Crianças), afirma que adotou as ideias centrais de Millan, mesmo sabendo que um Canis lupus familiaris é muito diferente de um filhote de Homo sapiens. Em seu texto Raising kids: wisdom from the dog whisperer (Educando crianças: sabedoria de um encantador de cães), Brenna conta que, depois de assistir ao programa por causa de seus dois cachorros da raça beagle (Toby e Daisy), conseguiu encontrar aspectos em comum no comportamento de crianças e cachorros. Um deles seria a percepção sentimental. Ela diz que animais e pessoas são capazes de perceber como realmente nos sentimos em relação a eles, “mesmo se não expressarmos verbalmente nossos sentimentos”. Ou seja, se você está bravo, não adianta falar manso porque o cachorro e a criança vão notar. Ela ainda afirma que, tanto no treinamento de cachorros como na educação dos filhos, três princípios são fundamentais: determinação, respeito e segurança.
Para o Encantador de Cães, o essencial é mostrar quem está no comando. Pais perdidos adoram essa ideia.
Assim como Brenna, a educadora inglesa Judy Reith começou a ver o programa por causa de seu cachorro – no caso dela, um terrier chamado Ollie. Agora, Judy usa as mesmas técnicas ensinadas pelo treinador Millan em seus três filhos de 18, 15 e 10 anos, entre elas a imposição de limites. “Os pais querem se tornar amigos dos filhos porque raramente os veem. Mas às vezes é preciso ser impopular e impor regras”, diz Judy. Nem todo mundo, claro, concorda que crianças e cachorros merecem a mesma pedagogia. O psicanalista inglês Aric Sigman, autor do livro The spoilt generation (Geração de mimados), diz que é “ridículo” pensar em educar filhos como cães. Ele até consegue traçar um paralelo entre o modo como alguns mamíferos tratam seus filhotes e a maneira com que as mulheres cuidam de seus bebês – mas as semelhanças terminam aí.
Sigman e outros especialistas suspeitam que os pais perderam tanta autoridade sobre os filhos que ficaram totalmente sem referências sobre seu comportamento – e por isso agarram qualquer tipo de receita, por mais maluca que seja. O psicanalista inglês também aponta outra explicação para a falta de controle desses pais: o desaparecimento da hierarquia familiar. Sem noção de autoridade, as crianças passaram a desrespeitar as mais elementares regras caseiras. É aí que entra o charme eficiente de Cesar Millan. Ao tratar com animais de inteligência inferior – os cachorros –, ele adota procedimentos simples e diretos, que tentam fixar na mente limitada dos cães uma única percepção essencial: quem manda neles. A produtora americana de televisão Jenny Hope diz que adota as lições de Millan tanto para o cachorro da família, Heide, como para seu filho Rowan, de 3 anos. “As crianças adoram limites, assim como os cachorros”, diz ela. É possível que também adorem biscoitos de cachorro, banhos mensais e um cantinho no chão da cozinha para dormir apenas quando tiverem vontade – mas os pais que cederem a essas predileções poderão ter problemas com o Juizado de Menores.
Para os especialistas, o fascínio das famílias por soluções fáceis para seus problemas educacionais é consequência de vários fenômenos: pais que geram tardiamente seus filhos, redução no número de crianças nas famílias, aumento no número de pais que criam seus filhos sozinhos e, finalmente, pai e mãe que trabalham fora e delegam a educação de seus filhos a terceiros, às vezes por tempo integral. Por chegarem cansados do trabalho e por ter pouco tempo de lazer com os filhos, eles sentem-se constrangidos em punir as crianças quando os limites são ultrapassados. Ou então procuram recompensá-las com presentes pelo tempo em que não estiveram com elas. A psicoterapeuta Brenna Hicks diz que esse sistema de recompensas não funciona com as crianças – nem serve para os cães.
Autora do romance I don’t know how she does it (Eu não sei como ela faz), cujo tema é o estresse da maternidade moderna, a escritora americana Allison Pearson tem outra explicação para a dificuldade dos pais com as crianças. “Somos de uma geração em que a obediência era inimiga do amor. Não queríamos que nossos filhos tivessem medo da gente.” Resgatar a autoridade não significa, como muita gente imagina, ser menos doce, sensível ou amoroso em relação à criança. Allison diz que há uma lição a ser aprendida com os adestradores: “Diferentemente de pais modernos, os treinadores de cães não acreditam que a disciplina seja uma coisa ruim”.
"

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Entenda a gravidez psicológica da sua cadela

Fonte: http://bitscaverna.com.br/cachorroblog/?p=6272

"
Notícia do R7





Coisas de mulher: os hormônios também influenciam no comportamento das fêmeas
Você tem uma gata ou uma cadelinha? Atenção: algumas mudanças de comportamento dela podem ser sinais de pseudociese, a gravidez psicológica. Segundo a veterinária Elaine Pessuto, de São Paulo, nesse processo, a cadela começa a desenvolver sintomas maternos mesmo sem estar grávida.
- Algumas passam a ter comportamento de “preparo de ninho”: cavam o chão, o sofá ou a própria caminha, pegam bichinhos de pelúcia e levam a esconderijos, carregam como se fossem filhotes e os colocam ‘aninhados’ em sua cama.
Após os sinais comportamentais, vêm os sinais físicos
- As alterações físicas perceptivas são o aumento das mamas e a galactorreia (produção de leite).
Carlos Durão, veterinário também de São Paulo, conta que o caso ocorre em fêmeas não castradas devido a causas hormonais. Durante o cio, que ocorre de seis em seis meses, o organismo da fêmea se prepara para uma gestação e aumenta a produção do hormônio progesterona.
- Se a cadela não ficar prenha, os hormônios continuam no corpo dela.
Elaine explica que não há nenhuma relação com a idade e nem com o fato da cadela já ter sido mãe.
- Algumas pessoas acham que, se elas tiverem uma cria, isso não acontece mais, mas é bobagem. Cruzar a cadela que sempre tem gravidez psicológica não melhora o problema. A única coisa que resolve o problema é a castração.
- Caso o dono não tenha a intenção de acasalar, ele deve castrá-la o quanto antes. Os benefícios da castração superam os contrapontos.
A veterinária conta também que há remédios para controlar os sinais quando o problema já está instalado, como os hormônios.
- A terapia hormonal, com o tempo, pode piorar o problema. Por isso sou a favor da castração para animais recorrentes nesse tipo de patologia
No caso de adoção de bichinhos de pelúcia ou brinquedos, o indicado é afastar a fêmea do objeto.


"

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Injeção no testículo de cães substitui castração cirúrgica

"

Notícia do G1
Uma injeção que deixa os cães machos inférteis sem a necessidade de cirurgia surge como uma alternativa para donos de pets que consideram cruel a castração tradicional. A nova droga foi lançada no início do mês, em São Paulo.




Medicamento promete deixar cães inférteis sem necessidade da tradicional cirurgia (Foto: Divulgação)
A veterinária e diretora da empresa que desenvolveu o medicamento, Maria José Simões de Freitas, explicou ao G1 que o animal recebe uma injeção do medicamento em cada testículo. “O produto é feito à base de zinco, que é a substância usada pelas células dos testículos para a produção de espermatozóide. Com o excesso, o organismo não consegue mais produzir espermatozóides. As células acabam atrofiando e não há mais a produção”, disse.
Segundo Maria José, com uma única dose, a eficácia do medicamento foi constatada em 72% dos animais após 30 dias. Dependendo de cada animal, entre 30 e 60 dias, é recomendada uma nova aplicação para a total atrofia dos testículos.
“O veterinário responsável pela aplicação vai avaliar se o animal precisa ser sedado para a aplicação do produto, que é feita por uma injeção. Geralmente, é dispensável quando os animais não são agressivos”, disse Maria José, que garante que durante o processo de atrofia também não há dor. “O cão não sente porque é um processo muito lento, leva cerca de 60 dias até a atrofia total.”
O esterilizador químico, que se chama Infertile, foi desenvolvido no Brasil pelo Centro de Planejamento de Natalidade Animal (CPNA). O produto foi testado por seis anos e teve a comercialização liberada pelo Ministério da Agricultura no fim de 2008. Por enquanto, é aplicado apenas em machos. A empresa afirma que o medicamento não tem contraindicação nem provoca efeitos colaterais. Todo o procedimento deve ser feito por um médico veterinário.
Sem reação
Dona de um abrigo que cuida de 700 cães abandonados em São Paulo, Carmem Salas usou a injeção em seis animais há 15 dias. Segundo Carmem, eles não tiveram reações colaterais.
“Quando é feita a castração tradicional, alguns bichos ficam doloridos, têm inchaços, passam alguns dias sem comer e precisam usar capacete para não coçar. Com a injeção, eles ficaram normais e já estão com os outros, no canil”, disse Carmem.
Doação para ONGs
Até o dia 20 de março, o CPNA vai doar o medicamento para secretarias municipais interessadas e ONGs que cuidam de animais e desejam realizar a castração. O produto já está sendo vendido a R$ 30 para veterinários e a R$ 10 para ONGs. Os responsáveis por ONGs podem entrar em contato com a empresa pelo e-mail: info@infertile.com.br ou telefone (11) 5631-0888.


Cautela
A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informou, em nota, que ainda está avaliando a possibilidade de utilizar a substância junto com laboratório fabricante.
Segundo a secretaria, ainda serão realizados testes, pela Vigilância Sanitária, para verificar a segurança e eficácia do produto, bem como a sua utilização em mutirões de castração. As castrações cirúrgicas de cães e gatos machos e de fêmeas continuam.


Fonte: http://bitscaverna.com.br/cachorroblog/?p=1255

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Cachorro tratado como gente

Fonte: http://bitscaverna.com.br/cachorroblog/?p=1490


"


Notícia do Fantástico





Dódi é da raça yorkshire. Foi atacado por um boxer. Ficou muito ferido. Quase morreu.
“Simplesmente, estanquei a hemorragia e como ele tinha perdido muito sangue, foi instalado um soro”, lembra dono do cachorro.
Acontece que o doutor José escolheu o lugar errado para salvar o amigo Dódi.
O animal foi atendido na Santa Casa de Itaguaí. O dono dele, Dr. José Valter Leite, que estaria deixando o plantão, socorreu o cachorro na sala de emergência do hospital.
“É o meu cachorro de estimação, e eu tenho consideração por ele. No momento, não pensei em nada, simplesmente agi. Eu sou um indivíduo que fui formado para salvar vidas. E um cachorro é um ser vivente”, alega o médico.
A divisão estadual de saúde e o Conselho Regional de Medicina estão discutindo a conduta do doutor José. Os vereadores de Taguaí querem o afastamento do médico.
“Chega o cachorro, passa na frente. Deixa de atender às pessoas para atender ao cachorro. É um fato lamentável”, opina José João Pinheiro, presidente da Câmara.
“O cachorro ser atendido dentro do hospital, usado o medicamento de um ser humano. Não acho que isso é muito incrível, nós precisamos tomar uma providência”, indigna-se Izalino Maximiano, vereador.
O prefeito, José Oswaldo Dalcim, que é também diretor do hospital, se mostra mais tolerante.
“Nós, como médicos, iniciamos a nossa carreira aprendendo em cima dos animais. Nós temos uma dívida de gratidão muito grande com esses animais. E quando o cão é de estimação, muito mais ainda”, acredita o prefeito.
Ainda assim, o diretor diz que o doutor José levou uma advertência.
“Ele aceitou e acatou, e agora nós estamos aguardando as providências a serem tomadas em relação à parte administrativa”, explica José Oswaldo.
Taguaí é uma cidade pequena. Tem sete mil habitantes. E o povo não gostou nem um pouco dessa história de cachorro atendido no hospital.
“Médico é pra gente, pra pessoa humana. Para cão, tem o veterinário, né?”, acha Juliana Diniz, dona de casa.
“Se você estiver na fila aguardando o médico se quiser ser atendido primeiro, é só dar um latido ‘au-au’“, ironiza Adão Batista de Almeida, vereador de Taguaí.

"

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Quanto e o que eu vou gastar inicialmente adquirindo um pug?

(Foto da Rebeca)
PUG - de 1.600,00 a 2.000,00 reais.




Caminha - 80,00 reais uma caminha simples.




Ração para filhotes premium- 70,00 reais de 2,5Kg que dura uns 25 dias.


  


Brinquedinhos - uns 3 brinquedinhos vai custar uns 50,00 reais, mas pode variar dependendo do tipo de brinquedo, claro.




Coleira - 15,00 reais, lembrando que a mais indicada para o pug é esta, em formato de oito que não atrapalha a respiração.






Jornal - de graça, você tem que arranjar um lugar para pegar o jornal de graça, se não for assinante de nenhum, pois comprar jornal só para o cachorrinho fazer suas necessidades não dá.




Veterinário - 90,00 reais a consulta para você ver se está tudo em ordem com o filhote. Esse valor é o preço da consulta em Brasília, em outras regiões do país pode variar.




Vacinas - se já não vier com todas as vacinas, são 5 até os 5 meses de idade, considerando que cada vacina destas custe em torno de 50,00 reais, você vai gastar 200,00 reais.




- 45 a 60 dias:1a. dose vacina múltipla*
1a. dose vacina contra Giardia
vacina contra a Tosse dos canis
- 21 dias após a 1a. dose:2a. dose vacina múltipla2a. dose vacina contra Giardia
- 21 dias após a 2a. dose:3a. dose vacina múltipla
a partir de 4 meses de idade:anti rábica






Vermifugação - cerca de 20,00 reais.




- 30 dias de idade:
1a. dose de vermífugo
- 45 dias de idade:
2a. dose de vermífugo
- 60 dias de idade:
3a. dose de vermífugo








Xampu - 10,00 reais






Pote de água e ração - digamos que uns 10,00 reais cada, totalizando 20,00 reais.


Quer dizer, nos primeiros 5 meses você vai gastar 2.835,00 reais, quase 3.000,00 reais.


Posteriormente, claro, você vai comprar um bebedouro para poder levar água quando for levar seu pug passear (é muito importante, tem que levar sempre!). Também vai comprar roupinha de frio, se fizer frio onde você mora. Vai comprar um ou mais potes para guardar a ração do seu cachorrinho sem estragar, pois o pacote grande de ração vale mais a pena do que o pacote pequeno, só que tem que ser bem armazenado, senão estraga. Vai comprar um cortador de unha para cortar a unha do seu cachorrinho em casa, porque fica mais barato. Vai descobrir que a caminha que você comprou está pequena e vai comprar outra. Vai comprar mais brinquedos para o seu cachorrinho, porque ele já comeu os que você deu. Vai comprar ossos, biscoitos, snaks e similares para agradar o seu pet querido. O seu pug vai ficar mais gordinho com tanta comida boa e não vai mais caber na coleira, vai mudar umas 3 vezes de coleira, sem contar a que ele roeu e arrebentou. Sabe aquela bolinha vermelha que surgiu na patinha do seu amorzinho e está coçando tanto? Exame de raspagem, mais consulta no veterinário, mais o tratamento. Cinto de segurança pra você viajar sossegado sem levar multa por transportar animal de forma incorreta. Hotelzinho pra deixar seu cachorrinho feliz e em segurança nas viagens que você não vai poder levar ele. A roupinha de frio não cabe mais, tem que comprar outra. As vacinas já estão vencendo tem que ir no veterinário denovo. O potinho de comida já não cabe mais a quantidade de comida que o seu pet está consumindo, é melhor comprar um maior pra não fazer bagunça. Sem contar nas frutinhas, verdurinhas e outras coisas que você vai dar para o seu pug ficar sempre saudável, afinal as rações não são completas, tem que fornecer outros nutrientes. Se for uma fêmea você vai comprar colarzinho, vestidinho, lacinhos e outros. Se for macho você vai comprar bonézinho, gravatinha e outros. Ah, e o sapatinho pra proteger os pezinhos e evitar pegar doenças... Enfim, existe uma infinidade de produtos no mercado para atender todas as necessidades dos nossos nenezinhos.


Quer dizer... se você está pensando em adquirir um pug e acha que vai ser barato está muito enganado. O investimento é alto e não pára. A vantagem é que o pug não precisa ser tosado, e você pode lavá-lo em casa, não precisa levar toda a semana no petshop. Agora, se você não quer lavar o seu pug em casa, prepare-se para gastar 20 reais por semana para que alguém faça isso por você. E faça as contas...
Portanto, faça as contas e prepare o bolso.