terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Lesão na Córnea (Úlcera de Córnea)

Depois de voltarmos da nossa viagem para Salvador reparei que a Rebeca estava com um furinho arredondado no olho, me preocupei muito e levamos ela ao veterinário.
Aí estão algumas fotos da lesão.
 
Ele está usando um colírio chamado Tobramax e até agora vi alguma melhora, mas a lesão continua igual, não sei quanto tempo demora pra lesão fechar.
A secreção diminuiu bastante e a vermelhidão também diminuiu. Vamos ver o que acontece.
Ela está usando o colar 24 horas por dia para não poder se coçar e por esse motivo também ela tem roncado mais.
Tive que tirar a caminha dela do meu quarto para poder dormir. Vão ser longos 15 dias...
Ela se adaptou muito bem ao colar, não tivemos nenhum problema e ela não ficou nada irritada.
(Para ampliar as imagens é só clicar nelas)
Achei na internet um texto muito interessante sobre a lesão de córnea. Se tem uma coisa que me deixa mais tranquila, quando eu tenho um problema, é pesquisar sobre o assunto na internet. É bom saber o que podemos esperar.

Uma das condições mais comum em oftalmologia veterinária é a úlcera de córnea. Ainda mais comum do que úlceras de córnea é o “olho vermelho”, que pode ser secundário à ulcera de córnea. O “Olho vermelho” é uma condição onde a conjuntiva fica inflamada e às vezes forma edema ou “chemosis”. Com o tempo, o olho começa a lacrimejar e a doer fazendo com que o proprietário procure por cuidados médicos.
A úlcera de córnea acontece quando algo “arranha” a superfície do olho. As condições mais comuns incluem contato com plantas e galhos de árvore, arranhão por um outro animal (especialmente gatos) ou por si mesmo (ao coçar ou esfregar o olho contra móveis e chão), produtos químicos e corpo estranho.
Um colírio corante especial é utilizado pelo veterinário para confirmar a lesão (úlcera) de córnea. Quando a córnea está danificada, esse colírio colante se adere ao redor da lesão corando apenas a região afetada.
Uma úlcera de córnea não complicada deve ser capaz de se regenerar facilmente. Uma vez que a córnea danificada está sujeita a infecções, um antibiótico local é aplicado até 4 vezes por dia. A segunda parte do tratamento é o alívio e controle da dor. Isso é feito com a aplicação de um colírio que reduz a contração e espasmos da pupila uma vez que essa é a responsável pela dor. Essa medicação causa a dilatação da pupila e por isso alguns animais ficam mais sensíveis à luz enquanto usam essa medicação.
Após o emprego do tratamento, o ideal é reavaliar a córnea com o corante em uma semana para comparar e ver se o tratamento está adequado. Em algumas condições, o tratamento médico falha sendo necessário fazer cirurgia. Uma técnica cirúrgica que vem ganhando popularidade nos último anos, chamada Keratectomy, é a cirurgia de preferência na maioria dos casos de úlceras não tão complicadas, essa técnica envolve o uso de uma agulha para “arranhar” a córnea em linhas cruzadas fazendo com que a cicatrização ocorra entre as linhas até a córnea.
Existem muitas outras técnicas cirúrgicas disponíveis especialmente para lesões de córnea mais complexas e severas. A identificação da úlcera e o tratamento precoce é o melhor remédio para salvar o olho do seu animal de estimação. É importante lembrar que nem sempre conseguimos ver a úlcera, por isso é importante levar seu animal para o veterinário sempre que ele apresente sinais como lacrimejamento, dor no olho, coceira no olho contra móveis e contra o chão e apresentar “olho vermelho”.

Para quem quiser saber mais, pode dar uma olhada nos comentários deste site, achei muto interessante, pois as pessoas tem as mesmas dúvidas e preocupações que eu estou tendo e outras nos ajudam contando suas experiências. GazetaNews.

Boa sorte para quem estiver passando por isso também!

O tratamento demorou um pouco para começar a dar resultado, mas o olhinho voltou ao normal, nem acredito! Está tudo ótimo!

Um cheiro.

Rebeca Flor.